Digite aqui o seu e-mail e passe a receber a programação cultural GRATUITA do Rio de Janeiro

24 de set de 2012

ESPETÁCULO NOTURNOS - DIAS 25 E 26 DE SETEMBRO DE 2012 EM COPACABANA

 
 
Noturnos é a representação dos escombros de uma sociedade doente em seus delírios de consumo, em suas neuroses e na sua solidão - foto de Rodrigo Moreira
 
No mês de setembro o público carioca poderá prestigiar mais um trabalho da Companhia Fiandeiros de Teatro, de Recife
 Noturnos
O espetáculo resulta de uma pesquisa sobre invisibilidade social e traz para a cena três fragmentos de dramaturgia que dialogam, de maneira poética, com as várias situações vivenciadas pelos atores durante o processo de estudos sobre o universo dos moradores de rua.
 
 
EM CENA, O ATOR JEFFERSON LARBOS - foto de Rodrigo Moreira
 
 
A peça será apresentada no Rio de Janeiro (25 e 26) e Niterói (28 e 29). Em seguida, segue em turnê para São Paulo e Curitiba.

Em seus nove anos de existência, a Companhia Fiandeiros de Teatro vem desenvolvendo pesquisas e realizando trabalhos acerca da obra de autores pernambucanos. Ao longo dos anos, criou um repertório de espetáculos com base em estudos no campo da poética, da dramaturgia pernambucana, da musicalização e dos desdobramentos da interpretação do ator.

 
 traz para a cena três fragmentos de dramaturgia que dialogam, de maneira poética, com as situações vivenciadas pelos atores - foto de Rodrigo Moreira



Seu novo espetáculo, Noturnos, é resultado de nove meses de intensa pesquisa e levanta discussões sobre a condição humana existente, não apenas no universo das ruas em suas várias instâncias, mas também numa sociedade regida cada vez mais por uma banalização do consumo. Três quadros compõem a peça: O presente, A cura e Salobre. Em cada quadro é possível identificar as referências relativas aos temas: violência, sexualidade, solidão e ociosidade, que foram identificados nas entrevistas e nas vivências dos atores em seu contato com as ruas e seus moradores. O título da peça, Noturnos, faz referência a esses seres que ressaltam nas ruas à noite, quando a cidade esvazia, e também faz referência ao tipo de designação musical que remete a reflexão, a um estado taciturno da alma.

“A cena de Noturnos é a representação dos escombros de uma sociedade doente em seus delírios de consumo, em suas neuroses e na sua solidão. A visão do homem contemporâneo como reflexo de sua incapacidade em ver a si mesmo, incapaz de perceber suas ruínas interiores e o desmoronamento de sua própria condição de humanidade.”
Diz André Filho, Diretor e autor da peça


Noturnos levanta discussões sobre a condição humana existente - Foto de André Filho

ACompanhia Fiandeiros de Teatro desenvolve espetáculos com excelente repercussão desde 2003. Em seu repertório figuram premiados espetáculos, como “Vozes do Recife - um concerto poético”, O Capataz de Salema” e “Outra Vez, Era Uma Vez...”. Nesse mês de setembro, o público carioca e fluminense terá quatro oportunidades para prestigiar o mais novo feito dessa companhia de pesquisa recifense: Noturnos. Em seguida, o espetáculo será apresentado em São Paulo e Curitiba.


FICHA TÉCNICA
Texto e Direção: André Filho
Elenco: Daniela Travassos, Karine Gaya, Jefferson Larbos, Manuel Carlos e Samantha Queiroz.
Sonoplastia: André Filho/Charly Jadson
Execução de luz: Gabriel Santos
Direção de Arte: Manuel Carlos
Direção de Produção: Daniela Travassos
Produção executiva:Renata Teles
Assessoria de Imprensa:Moretti Cultura e Comunicação


SERVIÇO
Espetáculo:NOTURNOS (Cia. Fiandeiros de Teatro Recife-PE)
Texto e direção:
André Filho

Classificação etária: 16 anos


SERVIÇO – Rio de Janeiro

Local:Teatro Glaucio Gill (Praça Cardeal Arcoverde, s/n - Copacabana)
Dias:25 e 26 de setembro
Horário: terça às 21h e quarta às 20h
Ingressos: R$ 20,00 (inteira) e R$10,00 (estudantes, artistas e idosos)

Informações:21 2332-7904

SERVIÇO – Niterói

Local:Café Teatro Papel Crepom (Rua Mariz e Barros, 296 - Niterói)
Dias: 28 e 29 de setembro
Horário: 20h
Ingressos: R$ 20,00 (inteira) e R$10,00 (estudantes, artistas e idosos)

Informações:21 2711-4657

INFINITY - IMPRESSÕES DO jAPÃO - O CONCERTO


4 de set de 2012

A MORINGA QUEBRADA - UMA COMÉDIA INOXIDÁVEL



Ainda em cartaz com o sucesso de público e crítica "Em Nome do Jogo", Gustavo Paso dirige a nova montagem "A Moringa Quebrada - uma comédia inoxidável" baseada na peça A Moringa Quebrada do alemão Heinrich von Kleist. O comédia protagonizada por Claudio Tovar estreia dia 8 de setembro (sábado) no THEATRO NET RIO.
Por conta de uma moringa quebrada na noite que antecede a ação da peça, toda a cidade de Upa Cavalo se vê envolvida numa comédia de suspense e corrupção. Dona de uma peculiar história, Upa Cavalo é dominada pelo juiz do tribunal local, o Juiz Adão (Claudio Tovar). Perdida no tempo e no mapa do Brasil esta cidadela tem habitantes estranhos, mistos de humanos com animais. Poderoso e protegido pelo padroeiro da cidadela São Childerico, Juiz Adão é um escorregadio e mentiroso contumaz. Mas as coisas começam a mudar quando recebe uma inesperada visita de seu superior, o Conselheiro Magno, no mesmo dia em que Dona Marta vai exigir que se encontre o responsável pela destruição de sua moringa historicamente valiosa.
Escrita entre 1803 e 1806, sendo encenada pela primeira vez em 1808, sob a batuta de Goethe, A Moringa Quebrada é, no original, pontilhada de referências à literatura alemã e inclusive às traduções de Molière feitas pelo seu autor, Heinrich von Kleist, considerado o poeta do sentimento absoluto. Kleist foi trágico tanto na vida quanto na arte, tanto como homem quanto como autor. Seu gênio atormentado e cético ultrapassou os limites da estética romântica e sua obra, tanto a teatral quanto a narrativa, é inclassificável e antecipa movimentos literáriosbem posteriores, como o expressionismo e o existencialismo.
A Moringa Quebrada, Uma Comédia Inoxidável é um espetáculo da Cia Teatro Epigenia, com adaptação e direção de Gustavo Paso, cenário, figurinos e caracterização de Teca Fichinski em parceria com o diretor, iluminação de Paulo David Gusmão, trilha sonora de Caique Botkay em parceria com o diretor, músicas interpretadas pela banda Liberpensulo, tendo Claudio Tovar e Samir Murad como atores convidados. A temporada de estreia acontece no Theatro Net Rio – Sala Paulo Pontes, de 8 de setembro até 28 de outubro. Sextas e sábados às 21h30 e domingos às 19h.|
O ESTRANHO MUNDO DE PASO
Na adaptação do diretor Gustavo Paso, os nomes fictícios dos lugarejos holandeses, “Holla”, “Huisum” e “Hussahe”, que no original de Kleist imitam gritos de cocheiros com seus animais, viram “Upa Cavalo”, “Eia Boi” e “Xô Bode”. O povoado holandês do original vira um povoado pernambucano e a mudança de ambiente condiciona a mudança de tudo que está dentro dele. Assim, se a história original se passa nas proximidades do Reno e às margens do Vecht, a adaptação a transfere para as margens do RIO TANTO FAZ, nas proximidades do Ipojuca. As flores não são mais as mesmas, nem os peixes e as plantas. A neve deixa de existir para dar lugar ao barro verde. Assim, a floresta vira uma caatinga muito peculiar... A Cidade de UPA CAVALO é uma epsécie de pensilvania nordestina, onde residem figuras estranhíssimas, num mundo mundo particluar... o Estranho mundo da cabeça criadora do pai desses seres: Gustavo Paso.
Mas as peculiaridades do original continuam presentes. “A comédia continua sendo um verdadeiro tapete de mal-entendidos e de enganos, característico do original, uma obra moderna, marcada pela turbulência do instante instável, pelo momento em movimento, pela incongruência entre sujeito e mundo”, comenta Gustavo Paso. Assim, o diretor parte do universo ficcional criado por ele para contar a história de Kleist, como personagens de quadrinhos. "A ideia surgiu do próprio Kleist, que gera personagens grávidos de sentidos e que abrem um leque de possibilidades em relação a eles, associado a isso vem o meu desejo de desenhar seres de um mundo estranho, porém imensamente parecido com o nosso Brasil. Uma espécie de Reino de Avilan, de O Estranho Mundo de Jack, de A Familia Adams, onde a mistura de conceitos próprios com problemas essencialmente brasileiros dão muito pano pra manga”, conclui Paso, que irá lançar um HQ contando a gênese da fundação de Upa Cavalo.
TRILOGIA ALEMÃ
Esta encenação de A Moringa Quebrada é o ponto de partida para o projeto TRILOGIA ALEMÃ que se completará com duas obras contemporâneas: a adaptação para o teatro do livro A Menina Sem Qualidades, de Juli Zeh – já convidada para a programação do ANO DA ALEMANHA NO BRASIL, em 2013 – e A Noite Árabe, de Roland Schimmelpfennig, expoente do teatro alemão contemporâneo.
SOBRE O DIRETOR
Gustavo Paso é diretor, cenógrafo e dramaturgo. Dirige a 11 anos a Cia Teatro Epigenia e seus espetáculos, entre eles: “Cemitério de Automóveis” e “Oração”, ambos de Fernando Arrabal; “Ariano” e “Alzira Power”, apresentados nacionalmente; e “EM NOME DO JOGO”, com Marcos Caruso e Erom Cordeiro, em cartaz no Teatro Fashion Mall. Ainda este ano dirigirá: “Bodocongó”, conto do poeta paraibano Astier Basílio sobre um homem que filma o tempo por mais de 40 anos; “Apesar de Você”, musical de Celso Taddei e Gabriela Amaral centrado na história de Julinho da Adelaide, pseudônimo de Chico Buarque de Holanda durante a ditadura militar; e prepara sua estreia no cinema como diretor e roteirista de “Alzira Power”, filme que terá a atriz Marília Pêra no papel principal. Para o futuro, Paso planeja fazer como ator um monólogo sobre Jean Genet.
FICHA TÉCNICA
Texto: Heinrich von Kleist | Tradução: Marcelo Backes | Direção e Adaptação: Gustavo Paso | com Claudio Tovar, Samir Murad e CiaTeatro Epigenia: Antonio Barboza, Barbara Werlang, Felipe Miguel, Luciana Fávero, Monica Vilela, Suzana Castelo, Thalita Vaz e Thiago Detofol | Cenário, Figurinos e Caracterização dos Personagens: Gustavo Paso e Teca Fichinski | Iluminação: Paulo David Gusmão | Trilha Sonora: Gustavo Paso e Caique Botkay | Assessoria de Imprensa: Ney Motta | Direção de Produção: Luciana Fávero | Produção Executiva: Júnior Godim | Realização: PASO D'ARTE e CiaTeatro Epigenia



Crédito:Antônio Garcia

SERVIÇO
A Moringa Quebrada, Uma Comédia Inoxidável | Texto: Heinrich von Kleist | Direção e Adaptação: Gustavo Paso | com Claudio Tovar, Samir Murad e CiaTeatro Epigenia | Sinopse: Por conta de uma moringa quebrada na noite que antecede a ação da peça, toda a cidade de Upa Cavalo se vê envolvida numa comédia de suspense e corrupção. | Local: Theatro Net Rio – Sala Paulo Pontes (90 lugares). Rua Siqueira Campos 143, Copacabana (Metrô Estação Siqueira Campos) | Bilheteria: Segunda a domingo de 10h até 22h. Informações pelo telefone 2147-8060 | Capacidade de Público: 90 lugares | Estreia: 8 de setembro às 21:30h | Temporada: De 8 de setembro até 28 de outubro de 2012 | Horário: Sextas e sábados às 21h30 e domingos às 19h | Valor do Ingresso: R$ 60,00 (inteira) | Duração: 90 minutos | Classificação Indicativa: Não recomendado para menores de 12 anos | Gênero: Comédia | Até 28 de outubro.

Digite aqui o seu e-mail e passe a receber a programação cultural GRATUITA do Rio de Janeiro

Minha lista de blogs