Digite aqui o seu e-mail e passe a receber a programação cultural GRATUITA do Rio de Janeiro

30 de mar de 2011

Exposição de obras de Niobe Xandó na Caixa Cultural Rio de Janeiro

Florestas Fantásticas e Máscaras Imaginárias

Exposição de obras de Niobe Xandó (1915-2010)



A CAIXA Cultural Rio de Janeiro apresenta 42 obras de uma das artistas percursoras do Realismo Mágico no Brasil. Obras de dois períodos de seu trabalho são apresentadas pela primeira vez, em exposição individual, no Rio de Janeiro. Inauguração dia 4 de abril.

A CAIXA Cultural inaugura no dia 4 de abril, segunda-feira, às 19h, a exposição individual da artista  Niobe Xandó Florestas Fantásticas & Máscaras Imaginárias. Esta primeira mostra individual da artista no Rio de Janeiro, reúne uma seleção de quarenta e duas pinturas e desenhos. Niobe Xandó, criadora de vasta obra, é constantemente reconhecida por sua originalidade nos quase sessenta anos de contínua e intensa atividade. A visibilidade que tem experimentado – principalmente a partir da sua inclusão, no ano 2000, na Mostra do Redescobrimento, Módulo de Arte Afro-Brasileira – é justa e merecida.

Seu trabalho resultou em obra sólida e múltipla, de atualidade evidente e sensibilidade muito própria, baseada em experiências pessoais bastante diferenciadas. A forte característica de liberdade de criação, aliada ao caráter lúdico, é uma constante. Depois de contemplada e estudada com atenção, a obra de Niobe Xandó surpreende cada vez mais. Seu trânsito pelas mais diversas tendências e movimentos (muitos deles pouco conhecidos entre nós) e a sobreposição de períodos e abordagens que promoveu em sua obra, criam inúmeras possibilidades de interpretação. Com amplo currículo nacional e internacional, Niobe Xandó já foi analisada em mais de cento e quarenta textos, escritos por renomados críticos brasileiros e estrangeiros.

A seleção das obras desta individual é assinada pelo curador independente Antonio Carlos Abdalla que pesquisa e cataloga a obra da artista há mais de 10 anos. Em 2007 foi realizada grande retrospectiva de Niobe Xandó na Pinacoteca do Estado de São Paulo e, em 2008, outra grande mostra (antológica) da artista foi feita no Museu Oscar Niemeyer, de Curitiba.

Serviço:

Exposição: Niobe Xandó – Florestas Fantásticas e 
Máscaras Imaginárias

(Niobe Xandó, Campos Novos do Paranapanema/SP,
 1915 – São Paulo/SP, 2010)

Curadoria: Antonio Carlos Abdalla

Divulgação: Gabriele Nery

Abertura: segunda-feira, dia 4 de abril de 2011, às 19h

Período expositivo: de 5 de abril a 29 de maio de 2011

 De terça a sábado das 10h às 22h

 Domingo das 10h às 21h

 Entrada gratuita

Local: Caixa Cultural Rio de Janeiro – Grande Galeria

 Avenida Chile 230 – Centro

Mais informações.2544-4080; 2544-1099; 2544-7666

26 de mar de 2011

Agenda Cultural do RJ: ''SOLAS DE VENTO''

Agenda Cultural do RJ: ''SOLAS DE VENTO'': "CAIXA CULTURAL Apresenta SOLAS DE VENTO Cotidiano mostrado através de técnicas de circo, dança e teatro apresenta desafios da convivência en..."

25 de mar de 2011

''SOLAS DE VENTO''




CAIXA CULTURAL 

Apresenta




''SOLAS DE VENTO''




Cotidiano mostrado através de técnicas de circo, dança e teatro apresenta desafios da convivência entre pessoas diferentes.

A CAIXA Cultural Rio de Janeiro apresenta, de 31 de março a 3 de abril, a peça “Solas de Vento”, inédita na cidade. Em cena, a Cia Solas de Vento utiliza técnicas de circo, dança e teatro para contar, sem uso da palavra, episódios de um encontro entre estrangeiros forçados a conviver por algum tempo.
Dois viajantes prestes a embarcar ficam retidos numa aduana, impossibilitados de seguir adiante. Limitados a viver em um saguão, um limbo suspenso e desconhecido, cada um tenta se instalar contando apenas com sua própria mala, uma espécie de mundo em miniatura, para inventar seu espaço pessoal.
Pouco a pouco estes estrangeiros se acomodam à situação enquanto aguardam a decisão para seguir seus destinos. Fatos do cotidiano mostram o desafio da convivência entre pessoas diferentes, apegadas aos seus valores e hábitos, que vão se aproximar, se confrontar e dialogar para, talvez, se encontrar.
No palco vazio, as malas são estruturas que sustentam os atores e seus aparelhos circenses. Cada um manipula sua mala construindo e transformando o espaço cênico a seu modo. Isso cria a dicotomia e o conflito fundamental do espetáculo, onde há duas culturas opostas oprimidas por uma entidade burocrática e onipresente.
A trilha sonora, composta especialmente para esse trabalho, permeia a cena com sons incidentais. A poesia do cotidiano, o burlesco e a fantasia se misturam numa dramaturgia gestual para mostrar os acontecimentos deste encontro.

Cia Solas de Vento
Bruno Rudolf e Ricardo Rodrigues procuraram enriquecer suas criações teatrais apoiando-se em outras formas de expressão.
Ao conhecerem suas criações individuais, eles identificaram uma prática semelhante e um olhar comum sobre fazer teatral. Na busca, o trabalho de um encontrou afinidade nas descobertas do outro.
E assim começava a parceria na cidade de São Paulo, em 2004. Desde então, a Cia Solas de Vento proporciona a ambos uma manifestação artística que explora a fundo as possibilidades do circo, da dança e do teatro.


Mais do que um encontro artístico, foi também encontro entre um francês e um brasileiro. Cada qual carregando um passado, uma história, uma cultura diferente. E a riqueza desta miscigenação cultural da dupla despertou o desejo de criar um espetáculo que discutisse e ampliasse a visão sobre “o outro”, seus hábitos e sua cultura.
Em 2005, iniciaram as pesquisas para o espetáculo “Solas de Vento”.
Bruno Rudolf - Bailarino, formado pelo Conservatório de Dança de Mulhouse (França), reside no Brasil desde 2001. Ainda na França, estudou teatro físico e mímica clássica, teatro de bonecos e técnicas circenses (acrobacia e malabarismo). Em solo brasileiro, estudou técnicas aéreas, participou de oficinas de teatro e dança, fundou a Cia Solas de Vento e trabalha regularmente com a Cia DRUW, Linhas Aéreas e Circo Mínimo. Pertence ao banco de casting do Cirque du Soleil como artista potencial nas categorias de Ator físico e Acrobata Aéreo
Ricardo Rodrigues – Graduado em Artes Cênicas pela Universidade São Judas, em São Paulo. É artista circense desde 1999, especialista em técnicas aéreas. Fundou a Cia Solas de Vento e trabalha regularmente com grupos com os grupos Linhas Aéreas e Circo Mínimo.  Pertence ao banco de casting do Cirque du Soleil como artista potencial nas categorias de Ator físico e Acrobata Aéreo.[Image]


SERVIÇO:

Solas de Vento
Duração: 60 minutos
Local: CAIXA Cultural Rio de Janeiro – Teatro Nelson Rodrigues 
Endereço: Av. República do Chile, nº 230 – Anexo - Centro (Metrô: Próximo à Estação Carioca)
Telefone: (21) 2262-8152
Temporada: 31 de março, 1, 2 e 3 de abril de 2011 
(quinta, sexta, sábado e domingo)Horário: 19h30
Classificação: 10 anos
Ingresso: Gratuito
Horário da bilheteria: 15h às 20h
Capacidade: 388 lugares









Digite aqui o seu e-mail e passe a receber a programação cultural GRATUITA do Rio de Janeiro

Minha lista de blogs